Webgoal

13 Jul/10

Gestão Participativa

Em pleno século XXI, muitos empresários não se reciclaram e entenderam a (r)evolução das “Relações Industriais” (ou utilizando um termo um pouco mais moderninho - “Recursos Humanos”) para Gestão de Pessoas. Não é apenas uma questão de terminologia, trata-se de uma mudança comportamental.

Minha professora na faculdade de gestão de pessoas disse: "tem que entender que o funcionário tem coração e cérebro". Se entendemos isso, porque não vamos um pouco mais além e implementamos uma Gestão Participativa?

Hoje a Webgoal deu um passo importante na direção desse objetivo. Conhecemos a SEMCO, uma empresa que adotou a gestão participativa na década de 80. Isso mesmo, há 30 anos. Já tinha lido o livro Virando a própria mesa do Ricardo Semler, mas confesso que o contato pessoal me fez acreditar que aquilo tudo é real e que a mudança é possível.

O que você diria sobre as pessoas poderem escolher o horário para trabalhar (chegam mais tarde porque tem dentista ou,  simplesmente, porque querem dormir um pouco mais), ou ainda um sistema de "escritório não territorial", onde você pode trabalhar da lan house ou da sua casa? Na SEMCO é assim e eles não faliram ou perderam clientes por conta disso. Muito pelo contrário.

Para começar precisamos entender que aderir a tal Gestão Participativa não é simples. Primeiro, acredite que você pode mudar. Depois comece envolvendo as pessoas nas mudanças, lembrando que nem tudo que é bom para a empresa é bom para o funcionário e vice-versa. Faça ou sugira uma pesquisa de clima e descubra se empresa e funcionários estão em sintonia.

Não se assuste com a primeira crítica ou com a primeira mudança que não tiver sucesso. Isso faz parte do processo e as mudanças levam tempo. Mantenha sua mente aberta, isso te ajudará a progredir. Getúlio Vargas contribuiu para evolução dessa relação paternalista com os funcionários a partir da implantação da CLT. Entretanto, isso foi em 1943 e muitos conceitos estão ultrapassados. Acostume-se a ir contra a CLT em prol da qualidade de vida e dos resultados coletivos.

Como você reage ao conversar com seus funcionários sobre salário? Ou melhor, você teria coragem de perguntar a eles quanto eles acham que devem ganhar? E você funcionário, teria coragem de apresentar para o dono da empresa em que você trabalha quanto você quer ganhar? Se não tem, deveria. A gestão participativa é assim.

Aumentar qualidade de vida no trabalho, otimizar tempo, aproximar as pessoas independentemente do departamento que trabalham, abolir cartão de ponto, dentre tantos outros fatores são sonhos que podem se tornar reais. Basta querer.

"Confiamos nas pessoas. O importante é ser feliz, gostar do que faz e de como se faz. Não contratamos horas, contratamos a responsabilidade de um trabalho de qualidade." afirma Flordelice Bassanello. Aliás, muito obrigada por ter nos recebido na SEMCO com tanta simpatia e ter “aberto” ainda mais nossa mente.

Ficamos muito felizes de ver que a Webgoal está caminhando na direção certa. Colhemos o que plantamos e tenho certeza que essa filosofia despertará em cada um de nós a ansiedade de colher os bons frutos.

Tags

Categorias

São Paulo

+ 55 11 2537-1198

R. Professor Aprígio Gonzaga,
112

Poços de Caldas

+55 35 3722-3776

R. Prefeito Chagas,
346 - Sala 21

Webgoal® 2015 - Todos os direitos reservados.